Vigília Pascal

A Vigília Pascal é a reafirmação comunitária da fé na ressurreição.É a celebração da vitória da vida sobre a morte. Depois de um dia de silêncio e meditação sobre a paixão e morte de Jesus, a comunidade cristã exulta de alegria pela Páscoa da ressurreição do Senhor.

Sé Catedral

Presidente: Dom Filomeno
Hora: 21:00

Nossa Senhora de Fátima

Presidente: Dom Fernando
Hora: 18:00

Leituras do Dia

Leitura do Livro do Gênesis 1,1-2,2

1
No princípio Deus criou o céu e a terra.
2
A terra estava deserta e vazia, as trevas cobriam a face do abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas.
3
Deus disse: “Faça-se a luz!” E a luz se fez.
4
Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas.
5
E à luz Deus chamou “dia” e às trevas, “noite”. Houve uma tarde e uma manhã: primeiro dia.
6
Deus disse: “Faça-se um firmamento entre as águas, separando umas das outras”.
7
E Deus fez o firmamento, e separou as águas que estavam embaixo, das que estavam em cima do firmamento. E assim se fez.
8
Ao firmamento Deus chamou “céu”. Houve uma tarde e uma manhã: segundo dia.
9
Deus disse:”Juntem-se as águas que estão debaixo do céu num só lugar 

 

e apareça o solo enxuto!” E assim se fez.
10
Ao solo enxuto Deus chamou “terra” e ao ajuntamento das águas, “mar”. E Deus viu que era bom.
11
Deus disse: “A terra faça brotar vegetação e plantas que deem semente, e árvores frutíferas 
que deem fruto segundo a sua espécie, 
que tenham nele a sua semente sobre a terra”.
E assim se fez.
12
E a terra produziu vegetação e plantas que trazem semente segundo a sua espécie, e árvores que dão fruto tendo nele a semente da sua espécie. 
E Deus viu que era bom.
13
Houve uma tarde e uma manhã: terceiro dia.
14
Deus disse:”Façam-se luzeiros no firmamento do céu, para separar o dia da noite. Que sirvam de sinais para marcar as épocas os dias e os anos,
15
e que resplandeçam no firmamento do céu e iluminem a terra”. E assim se fez.
16
Deus fez os dois grandes luzeiros: o luzeiro maior para presidir ao dia, e o luzeiro menor para presidir à noite, e as estrelas.
17
Deus colocou-os no firmamento do céu para alumiar a terra,
18
para presidir ao dia e à noite e separar a luz das trevas. 
E Deus viu que era bom.
19
E houve uma tarde e uma manhã: quarto dia.
20
Deus disse:”Fervilhem as águas de seres animados de vida e voem pássaros sobre a terra, debaixo do firmamento do céu”.
21
Deus criou os grandes monstros marinhos
e todos os seres vivos que nadam, em multidão, nas águas, segundo as suas espécies, e todas as aves, segundo as suas espécies. E Deus viu que era bom.
22
E Deus os abençoou, dizendo:”Sede fecundos e multiplicai-vos e enchei as águas do mar, 
e que as aves se multipliquem sobre a terra”.
23
Houve uma tarde e uma manhã: quinto dia.
24
Deus disse: “Produza a terra seres vivos segundo as suas espécies, animais domésticos, 
répteis e animais selvagens, segundo as suas espécies”. E assim se fez.
25
Deus fez os animais selvagens, segundo as suas espécies, os animais domésticos segundo as suas espécies e todos os répteis do solo segundo as suas espécies. E Deus viu que era bom.
26
Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo à nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”.
27
E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou.
28
E Deus os abençoou e lhes disse:”Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”.
29
E Deus disse:”Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra, e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento.
30
E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra
e que é animado de vida, 
eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez.
31
E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia.
2,1
E assim foram concluídos o céu e a terra com todo o seu exército.
2
No sétimo dia, Deus considerou acabada toda a obra que tinha feito; 
e no sétimo dia descansou de toda a obra que fizera. Palavra do Senhor.

Salmo responsorial

Sl 103(104),1-2a.5-6.10.12.13-14.24.35c (R. cf. 30)

R. Enviai o vosso Espírito Senhor,
    e da terra toda a face renovai.

Bendize, ó minha alma, ao Senhor! *
Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!

De majestade e esplendor vos revestis *
e de luz vos envolveis como num manto.

A terra vós firmastes em suas bases, *
ficará firme pelos séculos sem fim;

os mares a cobriam como um manto, *
e as águas envolviam as montanhas.

Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes *
que passam serpeando entre as montanhas;

às suas margens vêm morar os passarinhos, *
entre os ramos eles erguem o seu canto.

De vossa casa as montanhas irrigais, *
com vossos frutos saciais a terra inteira;

fazeis crescer os verdes pastos para o gado *
e as plantas que são úteis para o homem.

Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, *
e que sabedoria em todas elas!

Encheu-se a terra com as vossas criaturas! *

Bendize, ó minha alma, ao Senhor! R.

Segunda Leitura

Os filhos de Israel entraram pelo meio do mar a pé enxuto.
Leitura do Livro do Êxodo 14,15-15,1

Naqueles dias,
O Senhor disse a Moisés:
“Por que clamas a mim por socorro?
Dize aos filhos de Israel que se ponham em marcha.
Quanto a ti, ergue a vara,
estende o braço sobre o mar e divide-o,
para que os filhos de Israel caminhem
em seco pelo meio do mar.
De minha parte, endurecerei o coração dos egípcios,
para que sigam atrás deles,
e eu seja glorificado às custas do Faraó,
e de todo o seu exército,
dos seus carros e cavaleiros.
E os egípcios saberão que eu sou o Senhor,
quando eu for glorificado às custas do Faraó,
dos seus carros e cavaleiros”.
Então, o anjo do Senhor, que caminhava
à frente do acampamento dos filhos de Israel,
mudou de posição e foi para trás deles;
e com ele, ao mesmo tempo, a coluna de nuvem,
que estava na frente, colocou-se atrás,
inserindo-se entre o acampamento dos egípcios
e o acampamento dos filhos de Israel.
Para aqueles a nuvem era tenebrosa,
para estes, iluminava a noite.
Assim, durante a noite inteira,
uns não puderam aproximar-se dos outros.
Moisés estendeu a mão sobre o mar,
e durante toda a noite o Senhor fez soprar sobre o mar
um vento leste muito forte; e as águas se dividiram.
Então, os filhos de Israel entraram
pelo meio do mar a pé enxuto,
enquanto as águas formavam como que uma muralha
à direita e à esquerda.
Os egípcios puseram-se a persegui-los,
e todos os cavalos do Faraó,
carros e cavaleiros os seguiram mar adentro.
Ora, de madrugada,
o Senhor lançou um olhar, desde a coluna de fogo e da nuvem,
sobre as tropas egípcias e as pôs em pânico.
Bloqueou as rodas dos seus carros,
de modo que só a muito custo podiam avançar.
Disseram, então, os egípcios: “Fujamos de Israel!
Pois o Senhor combate a favor deles, contra nós”.
O Senhor disse a Moisés:  “Estende a mão sobre o mar,
para que as águas se voltem contra os egípcios,
seus carros e cavaleiros”.
Moisés estendeu a mão sobre o mar
e, ao romper da manhã, o mar voltou ao seu leito normal, enquanto os egípcios, em fuga,
corriam ao encontro das águas,
e o Senhor os mergulhou no meio das ondas.
As águas voltaram e cobriram carros,
cavaleiros e todo o exército do Faraó,
que tinha entrado no mar em perseguição de Israel.
Não escapou um só.
Os filhos de Israel, ao contrário,
tinham passado a pé enxuto pelo meio do mar,
cujas águas lhes formavam uma muralha
à direita e à esquerda.
Naquele dia,
o Senhor livrou Israel da mão dos egípcios,
e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar,
e a mão poderosa do Senhor agir contra eles.
O povo temeu o Senhor, e teve fé no Senhor
e em Moisés, seu servo.
Então, Moisés e os filhos de Israel
cantaram ao Senhor este cântico:

Salmo responsorial

Ex 15,1-2.3-4.5-6.17-18 (R. 1a

R. Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória!

1 Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória: *
precipitou no Mar Vermelho o Cavalo e o cavaleiro!

2 O Senhor é minha força, é a razão do meu cantar, *
pois foi ele neste dia para mim libertação! 
Ele é meu Deus e o louvarei, Deus de meu pai e o honrarei. * R.

3 O Senhor é um Deus guerreiro  o seu nome é “Onipotente”:

4 Os soldados e os carros do Faraó jogou no mar, *
seus melhore capitães afogou no mar Vermelho. R.

5 Afundaram como pedras e as ondas os cobriram. †

6 Ó Senhor, o vosso braço é duma força insuperável! *
Ó Senhor, o vosso braço esmigalhou os inimigos! R.

7 Vosso povo levareis e o plantareis em vosso Monte, *
no lugar que preparastes para a vossa habitação,
no Santuário construído pelas vossas próprias mãos. *

8 O Senhor há de reinar eternamente, pelos séculos! R.

QUARTA LEITURA

Com misericórdia eterna, eu o teu Senhor, compadeci-me de ti.
Leitura do Livro do Profeta Isaías 54,5-14

5 Teu esposo é aquele que te criou,
seu nome é Senhor dos exércitos;
teu redentor, o Santo de Israel,
chama-se Deus de toda a terra.

6 O Senhor te chamou,
como a mulher abandonada e de alma aflita;
como a esposa repudiada na mocidade,
falou o teu Deus.

7 Por um breve instante eu te abandonei,
mas com imensa compaixão volto a acolher-te.

8 Num momento de indignação,
por um pouco ocultei de ti minha face,
mas com misericórdia eterna compadeci-me de ti,
diz teu salvador, o Senhor.

9 Como fiz nos dias de Noé,
a quem jurei nunca mais inundar a terra,
assim juro que não me irritarei contra ti
nem te farei ameaças.

10 Podem os montes recuar e as colinas abalar-se,
mas minha misericórdia não se apartará de ti,
nada fará mudar a aliança de minha paz,
diz o teu misericordioso Senhor.

11 Pobrezinha, batida por vendavais, sem nenhum consolo,
eis que assentarei tuas pedras sobre rubis,
e tuas bases sobre safiras;

12 revestirei de jaspe tuas fortificações,
e teus portões, de pedras preciosas,
e todos os teus muros, de pedra escolhida.

13 Todos os teus filhos serão discípulos do Senhor,
teus filhos possuirão muita paz;

14 terás a justiça por fundamento.
Longe da opressão, nada terás a temer;
serás livre do terror,
porque ele não se aproximará de ti.
Palavra do Senhor.

3 thoughts on “Vigília Pascal”

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *