ARQUIDIOCESE DE LUANDA

O último Adeus a Reverendíssima Sr. Dom Francisco Viti

Na manhã desta quarta-feira, 19 de Abril, a Arquidiocese de Luanda despediu-se de Sua Ex.cia Reverendíssima Sr. Dom Francisco Viti, Arcebispo Emérito do Huambo, com uma Missa em sufrágio à sua Alma na Igreja Paroquial da Sagrada Família.

A Missa foi presidida pelo Sr. Dom Filomeno, Arcebispo, concelebrada pelo Núncio Apostólico, D. Giovanny Gaspari, Dom José Imbamba, Arcebispo de Saurismo e Presidente da CEAST, os Bispos Auxiliares de Luanda, D. António e D. Fernando, D. Estanilau Chindecasse, Bispo do Dundu, D. Maurício Camuto, Bispo de Caxito e D. Serafim, Bispo emérito de Mbanza-Congo.

Entre fiés Leigos e Consagrados/as bem como entidades Civis presentes na cerimónia fúnebre ressaltaram-se as presenças de Sua Eminência Cardeal Alexandre do Nascimento e Dom Zacarias Kamwenho, duas velhas coroas do Episcopado Angolano que com D. Viti e outros prelados das suas gerações conduziram a Igreja Angolana no período pós-independência.

Bem no final da Missa D. Kamwenho deu um testemunho de Vida pois sua vida cruzou-se com a de Dom Viti nos primórdios anos do Seminário menor e afirmou dizendo: “SEMPRE CONSIDEREI D. FRANCISCO VITI COMO UM SEMINARISTA de 2 M DOURADOS, UM PADRE de 2 M DOURADOS e UM BISPO de 2 M DOURADOS”. Dois(2) Ms porque; o primeiro “M” refere-se a Devoção a Virgem Santa Maria como um sustentáco-lo da sua vida. E o Segundo “M”- em alusão a Misericórdia.

Lembrar que Dom Francisco Viti faleceu no Sábado último, 15 de Abril, depois de um tempo de internamento no Hospital Cardio-Vascular D. Alexandre Cardeal do Nascimento, onde foi submetido a uma intervenção Cirúrgica em virtude de um aparatoso acidente de viação, em Fevereiro do corrente ano, na região da Chicalal-Choloanga quando regressava de uma actividade Pastoral na Diocese de Menongue, onde foi o primeiro Bispo.